Posts in tag

Jota Del Rosso


Não vou mentir: você me dá uma fome que chega a ser vulgar. Não sou das mais brandas – como você sabe, eu tenho uma língua deveras ferina -, então vou me poupar de oferecer detalhes, mas: você me dá fome. Tenho desejo de pele, ânsia de arrancar os fios do seu cabelo pela raiz, …

0 742

[Você pode ler este texto ao som de Closer] São três horas da manhã, mas vamos beber no sofá de casa enquanto ouvimos Kings of Leon? Claro que sim. Vamos sair para dar uma volta por São Paulo e admirar as belezas da noite em uma terra que parece que se nega a dormir? Vou …

0 1.7k

[Você pode ler este texto ao som de Ghost Towns] Como eu te amei, meu Deus. Nas tardes quentes e nas noites frias, no seu melhor e no seu pior. Te amei quando você gritava comigo e quando me sussurrava besteiras nos ouvidos, quando me chamava por qualquer apelido bobo e até mesmo quando a …

0 1.3k

Shh. Chega desse monólogo. Não foi difícil deixar você; difícil foi abrir mão de quem você me vendeu por uns tantos anos. Tem uma diferença grande nisso, até você consegue entender. Que tivemos histórias? Todas as relações humanas sobre a face da Terra possuem histórias – o que é que tem de novo nisso, mesmo? …

0 287

Tô bem, rapaz, não se aborreça. Não sou do tipo de pessoa que te quer triste porque você não me quer. Admito que faço certo esforço para não parecer um pouco desajustado toda vez que você passa por aqui, especialmente quando seus dedos estão presos em outros dedos, mas: não estou mal. Não estou com …

0 586

Quando eu me apaixonei por você, as primeiras coisas que chamaram a minha atenção foram os seus olhos, sempre tão expressivos, e as suas mãos. Sim, as suas mãos de dedos longos, de unhas achatadas e sempre um pouco afiadas demais. As suas mãos, grandes como você inteiro, me fizeram pensar em afagos sob os …

0 3.2k

[Você pode ler este texto ao som de Cannonball] É dia lá fora. Ela boceja e coça o pescoço com o que sobrou das unhas (as quais, aliás, tem roído noite após noite, numa sinfonia de dentes, rangidos e resmungos). Estala os dedos. Passa a língua pelos lábios rachados. É quase Junho; o frio se …

0 275

O cheiro da camiseta que eu guardei. Senti-o ontem pela última vez antes de, finalmente, tomar coragem para mandar a peça para outra freguesia. Que vá com amor, murmurei para mim. Que vá e acalente quem esteja precisado de um pouco de calor humano. A memória do seu corpo frio; meus lábios contra a sua …

0 569

[Você pode ler este texto ao som de Canto de Ossanha] Engulo seco no canto da sala, um tanto tonta, embasbacada com seus movimentos lentos, sua boca extensa, seu pescoço longo. É uma estátua, veja! Que belo quadro você faria também. É um Boticelli em exposição – e me faltam palavras para dizer algo que …

0 303