[Você pode ler este texto ao som de Love Crime] Eu tenho paixão estranha por escadas. Sempre que me sinto afrontado ou nervoso, é isso que eu faço: pego aquele casaco vermelho e puído pelo qual tenho muito apreço e desço a rua de casa em profundo silêncio. Caminho então até a praça próxima e, de …

0 94

[Você pode ler este texto ao som de Ciranda para Janaína] As ondas batiam na embarcação de forma quase preguiçosa. Ela, sentada na proa, tinha os olhos fechados. O mar estava calmo – pateticamente calmo, na verdade, especialmente para algo que podia engoli-la num piscar de olhos. Por fora e ao redor, tranquilidade. Por dentro, …

0 82

Uma gotinha de leite apenas para constar. Uma colherzinha modesta de açúcar, quando muito. Um apetite voraz pelo amargo, percebi uns tempos depois, e sorri para minha imagem cansada no espelho do restaurante. Você sempre abraçava a xícara com as duas mãos, quase como se temesse uma fuga inusitada, e falava baixinho, em tom de …

1 101

[Você pode ler este texto ao som de No Angels] Começou quando eu nem sabia direito o que significava ser gorda. Excesso de tecido adiposo era consequência da minha obsessão por pão de queijo, chocolate e Coca-Cola, não uma doença, um sinal de óbvio descaso de mim para comigo mesma. Começou quando minhas bochechas, que …

9 115

[Você pode ler este texto ao som de J’Arrive A Toi] Os seus dedos de unhas levemente crescidas passeiam pelo meu braço e eu tento disfarçar o arrepio, mas falho. Você sorri com seu sorriso hollywoodiano, seus dentes brancos e pontiagudos aparecendo por detrás dos lábios finos, machucados de mordidas minhas e suas e de …

0 153

[Você pode ler este texto ao som de Be Here Now] O momento em que você respira contra o meu ombro e eu penso que não é justo. A sensação ainda persiste, tanto tempo depois. Ainda há certa quentura na minha pele quando eu passo os meus dedos por ali. A minha memória, que nunca …

3 135