A virgem de 20 e poucos anos


Não sei bem o que acontece quando a gente chega na adolescência, mas tem um momento ali, talvez entre os quinze e os dezesseis anos, que parece que o único assunto possível é sexo. Inclusive entre quem nem está praticando. Ou melhor, principalmente entre quem nem está praticando.

De repente, parece que todos os outros assuntos ficam para trás. Já cheguei a me perguntar sobre o que eu conversava com as minhas amigas antes de começarmos a falar de sexo. Não me lembro.

Aos poucos a teoria se torna prática e uma por uma sua amigas vão experimentando sexo pela primeira vez. Mas você não. Não importa se você tem só dezesseis anos, se todas elas já tiveram a primeira vez, você sente tão atrasada quanto se ainda estivesse usando fraldas. Mas aí você lembra que ainda é apenas uma menina e que tudo tem seu tempo. E de qualquer jeito, talvez você ainda nem esteja pronta pra isso mesmo.

Mas o tempo passa e a adolescência acaba. Você agora é uma jovem mulher e os assuntos das suas amigas sobre vida sexual se tornam mais detalhados, elas falam de coisas que você nem sempre consegue entender. Você fica angustiada, quer resolver esse “problema” logo, mas ao mesmo tempo queria que fosse um momento especial. Enquanto você se debate entre essas duas opções o tempo passa mais ainda e você já está com seus vinte e meios.

Pode ser que algumas amigas te pressionem a “perder esse negócio logo”, dar para o primeiro que você encontrar na balada ou pedir pra um amigo resolver o assunto. Mas seguir a cabeça dos outros ou agir por motivos de “pressão das amigas” são formas muito ruins de lidar com algo que ao longo dos anos foi se tornando cada vez mais delicado pra você.

Entendo a frustração, a ansiedade e o medo. A vontade de dar pra qualquer um e ao mesmo tempo o desejo de que aquela seja uma lembrança inesquecível. Mas pra falar a verdade o equilíbrio é sempre a melhor opção.

Transe pela primeira vez com alguém com quem você se sinta confortável (não precisa ser o príncipe encantado, mas sair abaixando as calças pro entregador de pizza também pode não ser  a melhor abordagem). E não espere um conto de fadas. A primeira vez nem sempre é legal, nem sempre é gostosa. Essas coisas não previsíveis. Também não é pra dar no banco de trás de um fusca estacionado debaixo da ponte. Uma pessoa em quem você confia e um lugar onde você se sente a vontade já é o combo maravilhoso.

E se essa pessoa ainda não existe, respire fundo e paciência. Sexo é uma parte incrível da vida, mas não é tudo no mundo. Ser feliz com você mesma, ser independente, sair com as amigas, trabalhar com o que ama, tudo isso importa tanto quanto (ou mais) que sexo.

Vamos falar mais sobre isso? Olha aí um vídeo do Kama Sussa pra gente discutir mais esse assunto. Vem conversar comigo!

Comentários