[Você pode ler este texto ao som de God of Wine]

Eu tô tentando acordar todo dia cedo, passar o café, forrar a mesa, ter alguma ordem de hábitos na vida e voltar pro quarto porque eu sempre esqueço de arrumar a cama, mas eu tô tentando.

Eu tô tentando não pensar no casamento do meu melhor amigo e naquela coisa que ele me disse há uns anos quando eu contei pra ele que eu tava tentando me matar, que ele disse que a vida da gente tem valor demais pra ser atirada da janela e eu confessei que eu só tava morrendo de medo da dor porque eu sempre fui covarde.

Eu tô tentando parar de fumar porque o preço do maço tá caro pra caramba e minha conta já tá no vermelho, mas aquela fumaça toda parece ser a única coisa que segura a ansiedade que mora dentro de mim, então prefiro dever mais um pouco ao banco pra não sofrer com a abstinência.

Eu tô tentando não comer miojo todo noite nem ficar andando de cueca o dia inteiro, pelo menos eu lembro de tirar o lixo e limpar a casa, nunca vi rato nenhum andando por aqui, apesar de sentir uns formigamentos estranhos sob a pele que eu poderia jurar ser obra de roedores & devastadores & traças & coisas famintas por um pouco da carne que eu ainda tenho.

Eu tô tentando ir a shows e ouvir música num iPod velho e dizer “obrigado” pro cara da padaria que me vende um maço por um preço camarada, mas não consigo. Gosto mais do silêncio & da falta de contato & da segurança que é se esconder na gente & se ele soubesse, provavelmente pediria ajuda e diria “moço, você tá se destruindo” & ele teria razão.

Eu tô tentando ficar quietinho no canto da sala com as luzes apagadas contando de 1 a 1000 pra ver se ocupo a cabeça com alguma coisa que não seja falta nervos à flor da pele marlboro light vodka de segunda categoria agonia será que as tuas lágrimas são salgadas como as minhas são? Eu queria ter respondido ao cara da padaria, mas ele é tão gente boa comigo, mas queria ter dito pra ele que tem uma caralhada de gente destruída que usa rímel & gravata & tá sorrindo & ninguém acha que tem nada de errado com eles & a verdade é que eles estão todos mortos por dentro.

Eu não. Eu tô tentando.

Se você gostou deste texto, provavelmente vai gostar também do meu livro Depois do Fim, que já está nas livrarias de todo o país. Ele fala sobre a nossa vida depois de perder um grande amor e como superar essa perda. Se você gostou desse texto, eu tô deixando três opções com desconto pra você comprar pela internet.

Só clicar: SaraivaCulturaAmazon

Aproveita e já se inscreve no meu canal do Youtube porque tem muita coisa legal por lá!