Sexo: o prazer é pra ser a dois


Quando é para falar de sexo o que mais vejo por aí são dicas de “como enlouquecer seu homem na cama” ou “como fazer um boquete inesquecível” e até “posições preferidas dos homens”. É claro que existe material direcionado para os homens também, mas a grande maioria visa o público feminino. E não é que sejam matérias ruins (um pouco antiquadas talvez). É até legal aprender a fazer um boquete incrível e ver o cara gozando só com o poder da sua língua. Mas o que sinto falta nesse tipo de material é de ver temas que explorem o prazer a dois e – principalmente – o prazer da mulher.

Porque – olha que coisa louca – mulher também sente prazer. O objetivo do sexo não é apenas deixar o homem louco, de quatro, arfando, de pernas para o ar. O sexo é para a mulher também. Para a mulher curtir, gozar, sentir prazer, se sentir desejada. Mas vendo as matérias sobre sexo por aí não é isso que parece.

E de tanto ler esse tipo de coisa muitas mulheres acabam se esquecendo que o sexo é para elas também. Não só para elas entrarem no ranking das que mais deram prazer ao cara, mas também criarem seus próprios rankings das transas que mais deram prazer à elas.

É meio maluco como o mundo ao nosso redor mexe com a gente. Nós (mulheres) crescemos achando que sexo (além de ser coisa errada, de vagabunda e pecado) é para dar prazer ao homem. Mesmo quando a gente amadurece um pouco e começa a “gostar” desse negócio de sexo e se sentir a vontade transando, o que a gente aprende é como se exibir para os caras. Como impressionar. Como ser o mais incrível objeto sexual.

A gente fica toda satisfeita porque consegue deixar o cara louco só com uma punhetinha, ou porque aprendemos a fazer um boquete digno de Linda Lovelace e ficamos animadas quando perdemos a vergonha de fazer um strip-tease que o cara tem que se segurar pra não gozar só de olhar pra gente.

Que legal! A gente manja muito nesse negócio de sexo. Não temos vergonha de falar sobre esse assunto em mesa de bar, não temos problema em dar de primeira e até aula de pole dance a gente faz e com o maior orgulho. A gente é muito liberada sexualmente.

Será?

Mas masturbação não fazemos. Gozar durante o sexo ainda não conseguimos (tem até quem diga que isso é lenda!). Conhecimento sobre nosso corpo e o que nos excita fica sempre em último lugar. Sexo oral pra gente se vier é lucro, porque indispensável mesmo é o boquete pro cara, senão não é sexo, né?

Chega desse sexo que é para o outro e nunca para os dois.

Vamos lembrar que a gente também é parte interessada nesse negócio de transar. Inclusive seu clitóris é a prova concreta disso. A ÚNICA função dele é te dar prazer, sabia? Sexo não pode ser uma via de mão única. Então quando for pesquisar sobre sexo por aí, que tal menos “como enlouquecer seu homem na cama” e mais buscas pelo seu prazer sexual (sozinha ou acompanhada)?

Comentários