Los Hermanos é a minha banda nacional favorita, e não existe outro modo de me expressar tão bem além das letras do Amarante e do Camelo. Ouço Los Hermanos e, automaticamente, sou transportado pra um universo que joga verdades na minha cara enquanto a melodia (calma ou feroz) causa um sorrisinho de canto de boca visível na gente.

Dizem por aí que a pior parte de Los Hermanos são os fãs. Somos chatos e tudo mais, mas é que quem tá de fora não entende como todo o universo criado por eles, seja num carnaval sem fim ou no sétimo andar, faz com que as músicas vão além do que se vê.

Na difícil missão de hoje, selecionei minhas três músicas preferidas da banda pra ver se faço você se apaixonar também por eles. Dá o play e fica ligado na seleção!

1) Conversa de Botas Batidas

“Veja você, onde é que o nosso barco foi desaguar…” me arrepia. Só de ouvir, frase atrás de frase, penso em como amor é realmente a única coisa que a gente deseja, sem impedimentos e obstáculos que nos façam fugir ou impedir o que nós sentimos. Por que um amor de tantas rugas não pode ter seu lugar ao sol? É um hino, daqueles feitos para serem bradados a pulmões cheios, exclamando um amor livre que possa acontecer em qualquer lugar.

2) O Velho e o Moço

Essa música é um diálogo bem profundo entre duas pessoas, passado e presente, discutindo perspectivas de vida e escolhas. Fala sobre arrependimento, sobre decidir caminhos, sobre acaso e destino, sobre não dar mais pra voltar atrás. Um gosta do estrago, o outro não. Arrepio só de ouvir cada uma das partes, como se fossem mesmo faladas por um velho e por um moço.

3) De Onde Vem a Calma

Um rapaz que se exibe pra solidão é digno de um sorriso cativo nosso. Fala sobre um cara que se exibe por aí, guardando dentro de si um mundo que ninguém desconfia, é mais a gente do que a gente poderia contar. “Eu sou o que vocês são”, é mesmo, rapaz. É mesmo. E não muda! Essa música foi feita pra gente ser coroado rei (e rainha) da gente.