[Você pode ler este texto ao som de Like I’m Gonna Lose You]

Nós não sabemos o que o amanhã reserva para nós. Ninguém sabe o que será do futuro, em quanto tempo ele vai chegar ou vai durar. Não há precisões, apenas especulações. Charlatões. Previsões. Mas nenhuma certeza.

Então, pode ser que tudo mude quando o sol voltar. Pode ser que tudo fique de ponta cabeça. Que toda a nossa verdade se torne mentira. Não sei em qual cenário acordaremos. Então, por isso eu quero te dizer que eu te amo.

E se essa for nossa última noite juntos, que eu te ame mais uma vez com tudo que eu sou. E que você se entregue a mim da mesma forma. Por que, se amanhã formos diferentes, amor, qual seria sua última lembrança nossa?

Se algum dia eu ficar só no seu passado, eu espero que você pense bem de mim. Não precisa só lembrar das coisas boas, porque eu sei que, enquanto eu doer, meus defeitos é que vão saltar na sua memória. Mas depois, quando isso passar, lembre dos momentos que te fiz rir.

E foram muitos. São muitos. Guardo uma coleção deles como quem guarda cartas de um apaixonado. Porque, até onde eu puder, eu serei apaixonada por você. E quando eu pensar na palavra “amor”, será o seu rosto que eu verei.

Eu tô tentando fazer você entender o quanto você significa para mim hoje. O quão importante você foi e é. E, enquanto isso se manter assim, eu vou fazer você saber disso. Nem sempre com palavras. Nem sempre tão dramática.

Enquanto eu tiver condições e amor para dizer, meu bem, eu vou dizê-lo. Vivê-lo. E, pelo menos até amanhã, esse amor é por você.