Na maior parte das vezes a gente não sabe nem quem é, quem dirá o que quer fazer da vida


Em janeiro de 2015, eu recebi um convite inesperado: a Alana Trauczynski, do blog Recalculando a Rota e colunista aqui do blog, me convidou para ir passar uns dias na casa dela em Santa Catarina pra trocar uma ideia sobre a vida – além de aproveitar a praia maravilhosa que fica de frente pra casa da família dela. Mas por que o convite foi inesperado?

Eu sou muito medroso. Muito mesmo. No sentido de me mover e fazer coisas fora da minha rotina, arriscar viagens, mexer com dinheiro que eu não planejei gastar. Mas eu queria muito ir  por um motivo: eu tava inquieto pra caramba. Já a Alana, com seus 36 anos de pura experiência, é uma daquelas loucas que inspiram a gente a mudar muita coisa na vida. Ela lançou recentemente as quatro primeiras aulas do programa dela de graça em vídeo Eu queria muito fazer a viagem para repensar a minha vida, pensar no que eu queria fazer dela, porque eu estava infeliz pra caramba com o caminho que as coisas tavam tomando. Mudei pra São Paulo, tô num emprego legal, frequento umas festas bacanas, vou lançar um livro, mas… e daí? Qual é o propósito disso tudo?

Embarquei pra SC pra casa de uma pessoa que eu só conhecia por indicação de amigos e pela internet. Mal sabia eu se a Alana iria me matar e jogar meu corpo numa praia deserta em Santa Catarina, mas fui. E o que aconteceu foi mágico.

Não só fui bem recebido como percebi com ela um monte de coisa que a gente não percebe e que eu sempre vejo quando esbarro em alguém inspirador: a vida é feita de encontros que vão mudar a gente. Cada encontro que eu tenho com gente que já teve uma experiência foda de vida me molda e me ajuda a entender um pouco mais sobre quem eu quero ser e o que eu quero fazer. Eu tenho muita sede de ter as coisas certinhas e planejadas, sabe? Mas nem sempre é assim. Às vezes a gente tem que seguir o rumo do mar e remar. No meio do oceano a gente esbarra em gente como a Alana, como a Jaque e o Eme do Casal Sem Vergonha, como o Vicente Carvalho do Razões para Acreditar e muita gente que tá mudando o mundo da sua maneira.

Foram 4 dias de imersão em mim mesmo em Santa Catarina. Eu, com o livro da Alana na mala (eu falo sobre ele em outro post, ainda não terminei de ler, mas já me apaixonei nos dois primeiros capítulos), com mil ideias e pensamentos e encontro alguém que vira pra mim e diz “Bovo, você só não é feliz porque você não quer. Você tem algum propósito na vida? Você tem que descobrir um propósito, começar essa jornada, esse caminho de entender quem você é.”. Ou seja, tomei dois tapas na cara e fiquei pensando muito nisso.

Na maior parte das vezes a gente não sabe nem quem é, quem dirá o que quer fazer da vida. E tomar consciência de quem a gente é, como a gente quer se expressar no mundo, o que realmente importa e todas as coisas em torno disso requerem 2 passos difíceis: 1) admitir que erramos e que não somos sempre cheios de certezas sobre nós mesmo; 2) coragem pra ouvir de outras pessoas, refletir sobre o que foi dito e mudar dentro da gente o que precisa ser mudado. Isso foi o que a Alana me ensinou (além de outras coisas mais práticas para aplicar no meu dia a dia que eu não tenho espaço pra contar aqui).

Voltei de Floripa com um pensamento: eu preciso mudar de vida, mas pra isso eu preciso descobrir quem eu sou primeiro. E criei uma lista – que até agora tem 35 itens – de como mudar isso e de como me descobrir melhor. Um desses itens é terminar o livro da Alana e ler outras recomendações dela de pessoas inspiradoras, assistir a palestras do Ted e ver alguns filmes que nunca achei que seriam importantes.

 

ensinamentos da última viagem.

A post shared by Daniel Bovolento (@danielbovolento) on

E se você quer entrar nessa jornada junto comigo, eu recomendo duas coisas: 1) tire um tempo para pensar sobre você, em quem você é, como você pode mudar as coisas que você precisa mudar; 2) a Alana lançou um disponibilizou as quatro primeiras aulas do programa dela de graça em vídeo, onde dá dicas práticas e fala sobre a jornada de autoconhecimento e busca por propósito.

Eu comecei a assistir os vídeos – são 3 no total e 2 já estão disponíveis – e QUERO SER ESSA MULHER, mentira, mas quero ser tão foda quanto ela quando crescer. Enquanto não chego lá, vou tentando aprender um pouco com os ensinamentos de uma pessoa que passou 12 anos viajando por aí. Deixo aqui o link do curso da Alana pra você dar esse primeiro passo na sua mudança de vida, se você já não começou.

E reafirmo: eu não sei o que eu tô fazendo com a minha vida, mas o importante é continuar remando e encontrando gente que pode te ajudar a se guiar pelo caminho.

Comentários