Vai ser ele


[Você pode ler este texto ao som de Life Of The Party]

Quando você não parar de olhar no celular e recitar as sílabas dele num apelido que diminui o nome e expõe a normalidade com que você fala, vai ser ele.

Vai ser ele quando você achar que foram os outros ou que não vai ser nunca mais. Quando você tiver desistido e aceitado beber uma Gin Tônica numa sexta-feira – e se você nunca bebeu, vai entender quando beber uma. Quando você tiver saindo tarde da noite do trabalho e perguntar se ele topa pegar a última sessão do cinema.

Vai ser aquele cara nadica a ver com o Encantado ou com o Jack Sparrow. Talvez ele não nade bem como o Phelps, talvez não cante bem como o Adam Levine, talvez seja tão brutamontes quanto o Coisa do Quarteto Fantástico. Mas vai ser ele, e a forma dele não importa.

Vai ser quando você perguntar se tá tudo bem e ele disser que não. Vai ser quando você foram num karaokê e ele desafinar cantando uma música que você adora, beber demais e cair no seu colo pedindo desculpas. Vai ser ele quando vocês engasgarem rindo da mesma piada e aquele silêncio gostoso se abrir no lábio dos dois quando a risada acabar.

Vai ser. #entretodasascoisas #danielbovolento

A post shared by Entre Todas as Coisas (@entretodasascoisas) on

Vai ser ele quando você começar a se procurar debaixo dos trilhos, quando começar a se perguntar porque tá acordando mais disposta pra malhar às 6h quando tudo o que queria antes era que o dia não te cansasse tanto. Vai ser ele quando você pensar que era o amor dele que faltava pra te fazer mais feliz do que você era.

Vai ser ele quando, num esbarrão, você virar uma carta de tarô no xing ling do Centro e ela te revelar dois enamorados. Ele vai te dizer que não acredita em nada disso e até o ar cético vai te mostrar que é ele quando ele disser que só acredita mesmo em você. Vai ser ele quando a sua estranheza combinar com a dele, e talvez ele nem ligue pro fato de você colocar ketchup na pizza.

Vai ser ele quando as suas amigas, os seus primos distantes, o seu porteiro, os seus móveis, os seus horários e até a conta do seu celular souber.

Vai ser ele quando você sentir um choque, sabe quando a gente sente choque quando encosta em alguém? Então, vai ser ele quando o esqueleto dele te der mais conforto que um travesseiro, por incrível que pareça. Quando você parar de dizer que odeia dormir de conchinha – eu odeio, não sei você, mas vai que.

Vai ser ele e você vai saber exatamente disso porque ele palpita aí dentro.

Vai ser ele. Ou talvez já seja.

bovonew

Comentários