[Você pode ler este texto ao som de “God Only Knows“]

“Quer ouvir um segredo? Eu acho que sou sortuda por ter você na minha vida.” – você me disse com aquela sua mania de sempre me ver muito melhor do que eu realmente sou.

Tentei disfarçar, mas meu sorriso acanhado e minhas mãos que não pareciam encontrar os bolsos me denunciaram toda a felicidade que você tinha me dado ao falar isso. É que eu acho encantador o jeito como você consegue dizer coisas tão tocantes e de um jeito tão despreocupado e natural, como se tivesse comentando um filme daquele diretor que você gosta e eu nunca consigo lembrar o nome. Aquele russo.

Ou francês? Não sei. Na verdade eu tenho poucas certezas na vida, mas uma coisa que eu nunca precisei pensar muito pra ter certeza foi sobre como o diretor da minha vida tem acertado desde que você entrou no meu roteiro e, depois do que você disse, eu comecei a pensar se poderia chamar mesmo isso de sorte.

Cê já parou para ver qual é o significado exato de “sorte”? Eu fui ver, temos três definições diretas, segundo um site que eu achei: fortuna, ventura e felicidade. Não tenho pretensões de corrigir um dicionário digital mas, vamos lá, eu achei tudo isso amplo demais. O que realmente é essa entidade que chamamos de sorte?

Eu queria um exemplo concreto, algo que eu pudesse apontar e dizer “pronto, é isso”. Como não encontrei, criei alguns pra mim. Acredito que não precisamos de um grande evento para reconhecermos a sorte, sabe? Acho que ela é uma senhorita discreta que vem em roupas simples. Sorte, pode ser a caixa de chá de camomila no armário que eu tenho porque sei que você não toma café de manhã. É estar aqui te fazendo cafuné enquanto você faz manha e dorme no meu colo. Prestando bastante atenção, vi que a sorte poderia estar em cada pequena escolha que eu fiz nestes vinte e poucos anos, o somatório delas me levou até você.

Só que eu continuei pesquisando e vi que a sorte é indecisa também, que ela muda de lado constantemente e sem avisar. Eu não gosto de pensar que, de um dia para o outro, posso não ter mais seus fios para guiar meus dedos nem você para guiar meus passos. Dispenso pés de coelho e trevos-de-quatro-folhas se o efeito deles tiver prazo de validade. Não te quero por sorte, te quero pra sempre.

No fim, eu não conseguir chegar à uma conclusão se sou realmente sou ou não sortudo. Mas resolvi que não me importo em ter sorte, eu já tenho você. Vale muito mais.

doug

*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente.