Monday 28th July 2014,
Entre Todas as Coisas

Não vale a pena.

Daniel Bovolento 25 de abril de 2012 Crônicas e contos
Não vale a pena.
Leia em tela cheia!

Quatrocentos e vinte nove dias e cinco horas mais dois minutos. O que você está fazendo da sua vida? Como se eu tivesse ideia do que eu mesmo estou fazendo da minha. A rotina das minhas retinas escancaram modismos e comodismos. Não era você que ia salvar o meu mundo e mudá-lo radicalmente em três minutos? Até que conseguimos aumentar esse tempo com paciência e desaprovação. Quando a gente vive com muita vontade alguma coisa, a mentira se torna real demais pra que a gente acredite que era só uma mentira. Ela constrói um mundo inteiro como se fosse um castelo de cartas. Prazer, rei de paus. A rainha de copas soprou o castelo, deu meia volta e nos sabotou.

Eu te projetei um pouco. Mas essa confissão a gente só faz depois que já passou uns dias maldizendo e dizendo que a culpa é toda nossa. Existe uma sensação de poder em volta da culpa. A culpa foi minha, logo, não deu certo por minha causa. Eu mantive esse egocentrismo durante todo o tempo e agora eu me vejo nessa posição de controle que é fascinante. Você pode se assustar com a forma com que estou lidando com isso e me chamar de cruel. Mas eu acho que você que era cruel demais. Pelo menos eu quero me lembrar de você assim: cruel demais. Girar a maçaneta com tanta convicção e me dizer que eu matei os seus sonhos. Bobagem. Quem precisa sonhar quando se consegue fingir tão bem que é feliz?

Você precisa de mim. Em todas as suas pinturas havia algo de mim. Esfreguei na sua cara outras mulheres como se elas fossem alguma coisa. Eu sou do tipo de perdedor que mantém um troféu em casa e se vicia em apostas. A maior delas foi você. Eu achava que conseguiria corromper essa sua coisa sonhadora e idealizada. Você era boa demais, sabe… Bonitinha demais, legalzinha demais, boazinha demais. Você tinha um conjunto certo demais. E isso sempre me enjoou em você. Mas cada um de nós pensa que pode mudar o outro para que ele se pareça mais com o que a gente espera. Ela vai conseguir romper isso e ser realista; vai conseguir reprimir o pudor e fazer uma lista; vai se deixar levar por mim e se largar de lado. Eu queria uma mulher feita para deixar de ser. Eu queria você assim: como eu quero. Com toda a intensidade e da maneira que eu acho melhor. Mas, porra! Você tinha que cismar em brincar com a minha paciência e se preencher como uma das suas telas. Eu queria você em branco, sem nenhum rabisco, sem nada, meu bem.


Arte incompleta, mas você tinha talento. Só me provou no final. Mas não importa. Toda mulher precisa de uma lição e que essa lição venha de quem entenda de moldes. Você vai aprender a moldar os seus próximos amores agora. Todo mundo aprende. Basta que chegue a grande decepção amorosa da nossa vida que a gente aprende a ver os outros de uma nova forma. Eu queria discutir com você sobre o seu novo manual de instruções, mas você foi rápida demais. Precisava dizer que era pra você ficar e que a gente podia se destruir junto. Eu sempre gostei desse joguinho de quem fere mais e quem ama menos. Masoquismo puro, meu bem.

É divertido, você vai descobrir isso. Projetei esse parasita dentro de você como um pequeno vírus que vai crescendo cada vez que algum deles chegar perto de você. Eu te programei para sofrer. Isso era o que você estava fazendo da sua vida quando resolveu depositar em mim a sua felicidade. Mas aqui fica a lição que eu tanto quis te ensinar: nenhuma pessoa é lugar de repouso. Tarde demais, meu bem. Você acaba de descobrir que a pena é muito dura para carregar sozinha. Mas, se quiser, eu te ajudo nessa.  Se me deixasse falar, eu teria me despedido de vez. Você só virou a chave, virou a cara, virou o mundo e me disse que. É uma pena, mas você não vale a pena.

Gostou do texto? Compartilhe!

Deixe Um Comentário -

  1. Géssica 25 de abril de 2012 at 10:49 pm

    UAU! É como se você transcrevesse em palavras os meus pensamentos … Tudo o que eu queria dizer. Muito bom Dan, muito real!

  2. Jéssica 25 de abril de 2012 at 10:50 pm

    Gostei, muito bom! Quando vc fala que não vamos gostar, GERALMENTE, gostamos! Vários textos numa semana só, mto bom tbm!!

  3. Nathália Magatty 25 de abril de 2012 at 10:51 pm

    Perfeito demais. ♥

  4. Ana 25 de abril de 2012 at 10:54 pm

    eita, que texto perfeito. Entre todos, esse foi o que eu mais me identifiquei! Parabéns.

  5. Beatriz 25 de abril de 2012 at 10:54 pm

    amei amei amei esse texto, muito lindo *-*

  6. Marcelle Medeiros 25 de abril de 2012 at 10:56 pm

    Lindo, Daniel! Como você disse, desconexo, e lindo mesmo assim. Num relacionamento tem que haver disposição pra moldar-se. Às vezes a pessoa é tão “boa” que não se permite mudar. Ironia pura, como a maioria das coisas na vida. Esse cara vai encontrar alguém em quem acrescentar um dia, um alguém não tão certo, como ele, disposto a aprender, como ele.
    PS: Adoro seus textos “densos” e “metafóricos/poéticos”. Beijo.

  7. Ana Paula 25 de abril de 2012 at 10:56 pm

    nossa, fantástico !

  8. Thayná 25 de abril de 2012 at 10:56 pm

    Sou leitora assídua do seu blog, e é incrível como a cada texto novo você se supera! Muito bom mesmo!

  9. Lígia 25 de abril de 2012 at 10:57 pm

    Ótimo, ótimo, ótimo.
    Lembrou aquela música de Leoni, “Como Eu Quero”.

  10. Tati 25 de abril de 2012 at 10:58 pm

    Lindo, intenso e real!! Adorei!! Adorei mesmo!!

  11. Marina Christ (@mxchrist) 25 de abril de 2012 at 10:58 pm

    Juro que não chorei… Mas afirmei com a cabeça cada maldita frase desse texto! Não sei se é o texto em si ou se sou eu quem estou mais conformada… hahahaha Lindo!

  12. Juliana 25 de abril de 2012 at 11:00 pm

    Dizer que ficou perfeito é inferiorizar esse texto, com certeza é o meu preferido, amei!

  13. iris (@_milanez) 25 de abril de 2012 at 11:03 pm

    Para variar: adorei Daniel !
    O modo como tratou de falar que nós sempre nos culpamos e dizemos de que a culpa é nossa, isso não é correto, muitas vezes os erros são de ambos. Mais um ponto que achei interessante foi quando se referiu que as pessoas esperma mudar as outras, muitas vezes essa expectativa da mudança do próximo quando ela não acontece é que nos faz desistir. Então temos no fim dito “você não vale a pena”, sou a favor da ideia de que toda pessoa vale a pena, só é necessário achar quem a valorize realmente. Bom, o eu lírico se mostrou um tanto egoísta e sem consideração pela relação, afinal ele desejou dor a outra pessoa. E no fundo mesmo quando duas pessoas não terminam uma relação numa boa ninguém quer o mal do próximo, apenas o quer distante.
    Parabéns, ficou ótimo !

  14. Louise 25 de abril de 2012 at 11:05 pm

    Quando leio seus textos tenho uma super vontade de dividir com você histórias da minha história, em cada texto tem um pedacinho da minha delas! Ninguém sabe de nada, mas acho que fundo você consegue decifrar boa parte dos prós e contras em se tratando de relacionamentos, mesmo que não seja um momento pelo qual você esteja passando. E no meu caso, é bom poder me identificar, quem sabe assim não só eu, mas quem lê seus textos consiga aprender ou melhor entender um pouquinho mais do funcionamento dessa coisa louca chamada sentimento amoroso e as mais diversas situações que o cerca! Valeu Dani, adoro seus textos! Você escreve muito bem mesmo viu, um super parabéns, de verdade!!
    E um comentário sobre nesse especificamente: Esse cara é um sacana, precisa aprender o que quer da vida, sem usar os outros como estepe! hehehe

  15. Andrieli 25 de abril de 2012 at 11:07 pm

    precisa de comentário?

  16. Elisângela Oliveira 25 de abril de 2012 at 11:08 pm

    Perfeito como sempre,e estranho mais esse texto tem tudo a ver com uma fase de minha vida.Parabéééns,excelentes textos!!

  17. Daiane Alves 25 de abril de 2012 at 11:09 pm

    Você sintetizou nesse texto o sentimento que a maioria das pessoas tem quando encontram outra, usam-a de acordo com o que lhe convém e espera, pra mim desse tipo de relacionamento que surgem as mulheres amarguradas por caras que não lhes deram a importância necessária!
    Foi um texto diferente do que você costuma escrever, mas continuou sendo magnífico. Você é um dos blogueiros que mais mantém atualizado o blog e por isso queria te parabenizar, amo seu trabalho :D

  18. Kate 25 de abril de 2012 at 11:09 pm

    Eu disse: você não vale a pena, mesmo não querendo dizer. Porque quem mandou eu depositar a minha felicidade em quem nem chegou a me prometer nada. E a decepção se instala e não se consegue enxergar nada da mesma forma. Sinceramente, eu queria uma despedida.
    Esse foi um dos melhores textos, quem sabe o melhor (talvez por pura identificação)

    Seu blog sempre salvando meus dias *___*

  19. Beatriz 25 de abril de 2012 at 11:09 pm

    ótimo, sempre ótimo… você sempre falando (escrevendo) muito do que eu preciso ouvir. (ler) rs

  20. Camila 25 de abril de 2012 at 11:10 pm

    Texto maravilhoso!!!!

  21. Luane Caroline 25 de abril de 2012 at 11:11 pm

    Muita raiva pelo eu-lírico. Sério.

    • Luane Caroline 25 de abril de 2012 at 11:15 pm

      acho que o certo seria “por causa do eu-lírico” . Enfim, cê deve ter entendido. haha

  22. Tais 25 de abril de 2012 at 11:12 pm

    É… fantástico… forte, intenso…e pra muitos, um choque de realidade! Beijos, adorei!

  23. Rayssa 25 de abril de 2012 at 11:13 pm

    posso me ver nessa história. show, Daniel. já fui essa mocinha e já conheci um filho da puta tão filho da puta, que deu vontade de voltar em todos os caras que chamei de filho da puta antes dele, pra pedir desculpas. haha! depois que passa a gente ri e ver o quanto aprendeu.

  24. moni 25 de abril de 2012 at 11:17 pm

    fodaaaaaaa demais

  25. nsierra 25 de abril de 2012 at 11:20 pm

    A primeira pergunta ardilosa dele é como você se imagina daqui a 30 anos. Não responda, é uma armadilha. Você nunca fez planos, mas essa pergunta asquerosa começa a se instalar no seu subconsciente. Você começa a se imaginar. E começa a imaginá-lo a seu lado. Perigo. Quanto mais essa ideia cresce e se apossa das suas vontades, menos você se lembra de ser um encanto.
    Daí que a rotina tão pouco espontânea é a rainha má do seu conto infantil. Mas você não quer acreditar nisso. Então você começa a testar os limites. Pode vir quente.
    Ninguém assume a culpa. Você passa horas criando justificativas sensatas que sofisticamente provam que a culpa está lá, no outro.
    Você só percebe muito tempo depois, quando se distancia, que ele era um egoísta sem tamanho.
    O desamor não é problema, a gente encara. O problema é o desumano, o problema é o não dito. Que barreira difícil essa. Você percebe que acabou. Mas o que dói é perceber depois de um tempo que já havia acabado há muito mais tempo. Mas ele teve preguiça. Ele faltou com a ética dos relacionamentos saudáveis. Ele quis ver você se desesperar com aquela situação. Ele quis te ver enlouquecer. Ele quis te esgotar e fazer você desistir de tudo. E daí quando você não aguenta mais e diz “não quero mais”, ele diz “a culpa é sua, foi você quem quis assim”.
    A primeira sensação é a de destruição.Vai durar semanas. E depois? Próximo, por favor?!

    • Luane Caroline 25 de abril de 2012 at 11:28 pm

      curti pakas esse comentário. hahahaha

    • Kate 25 de abril de 2012 at 11:44 pm

      Putz, fiquei sem palavras. Adorei o comentário .

    • Ana Passos (@AnitaPassos) 26 de abril de 2012 at 12:18 am

      ”O desamor não é problema, a gente encara. O problema é o desumano, o problema é o não dito. Que barreira difícil essa. Você percebe que acabou. Mas o que dói é perceber depois de um tempo que já havia acabado há muito mais tempo. Mas ele teve preguiça. Ele faltou com a ética dos relacionamentos saudáveis. Ele quis ver você se desesperar com aquela situação. Ele quis te ver enlouquecer. Ele quis te esgotar e fazer você desistir de tudo. E daí quando você não aguenta mais e diz “não quero mais”, ele diz “a culpa é sua, foi você quem quis assim”.”

      Que puta comentário hein? Amei demais!

  26. Caroline 25 de abril de 2012 at 11:36 pm

    aaah você escreve muiiiiiito ! *.*

  27. Roberta Almeida 25 de abril de 2012 at 11:52 pm

    Gostei muito, complexidade dos nossos sentimentos…Amor perfeito demais tambem é defeito, todo mundo mesmo que la no fundo anseia outras coisas!

  28. Luana (@Luuflorindo) 26 de abril de 2012 at 12:23 am

    só acho uma coisa para de pensar que seus textos são mais do mesmo! Espetacular , ou eu me identifico demais mesmo com os seus personagens.

  29. Ná Cardoso 26 de abril de 2012 at 2:56 am

    Uau! Mais um show que escreveste… demais!!!!

  30. Jessica W. 26 de abril de 2012 at 4:23 am

    É bom saber que alguém ainda escrevi um texto assim porque de fato tem um sentido e não pra fingir que sabe o que tá dizendo. Muito bom, Daniel!

  31. bertagna 26 de abril de 2012 at 10:35 am

    Reblogged this on Beto Bertagna a 24 quadros.

  32. Ana Carolina 26 de abril de 2012 at 1:25 pm

    Eu sempre leio os seus textos e adoro todos! Mas esse… me tirou o fôlego!! Nossa… maravilhoso e se encaixa muito no que estou passando agora! Você está sempre de parabéns e nunca, por favor, nunca deixe de escrever aqui!! Beijos

  33. aman dioca (@_mandinhagomes) 26 de abril de 2012 at 2:37 pm

    Adorei, muito bom!

  34. luciana silva 26 de abril de 2012 at 4:41 pm

    curti 116546549674616345 de vezes:
    ” É uma pena, mas você não vale a pena”.

  35. andrelmar 26 de abril de 2012 at 11:27 pm

    Muito bom… duro e frio, mas muito bom. Só quem já sentiu essas palavras passando pelos neuronios entende…

  36. Ca 27 de abril de 2012 at 3:53 pm

    Como vc consegue???? me fala rs
    Vc consegue dizer tudo, tudo oq passamos ou oq estamos passando!!!
    Tô pra vê rs

  37. Iara Mourão 27 de abril de 2012 at 10:08 pm

    Ei, da próxima quero direitos autorais por descrever minha vida assim, tá? Haha Parabéns pelo texto! ;)

  38. Lília 28 de abril de 2012 at 9:13 am

    Nenhuma pessoa é lugar de repouso … a vida nos dá muitas bofetadas e até que possamos aprender isso pode demorar um pouco. Seus textos Dani, são excelentes, vc escreve maravilhosamente bem. PARABÉNS!!!!!

  39. LOM 28 de abril de 2012 at 7:40 pm

    Acho que é um dos textos mais comentados do seu blog. Talvez porque uma boa parte das pessoas já tenha passado por tudo isso. O bom é saber que não acontece só conosco. E que o erro não é nosso (como você disse: a gente insiste em se culpar) O resto é bola pra frente, sorriso na cara e fingir que nem doeu (só fingir)

  40. Gabriela 28 de abril de 2012 at 9:50 pm

    Você escreve muito bem, muito bem mesmo. Eu acompanho o seu blog sempre, você é um escritor de mão, pernas, dentes, bocas, cabeça, mente, cheia.

  41. Daniela Seixas 1 de maio de 2012 at 1:37 am

    Meu Deus! Como você consegue escrever e transcrever sentimentos, atitudes, as ações desta maneira? Tão real, verdadeiro que até dói o coração! Parabéns!!!

  42. Priscila Góes 1 de maio de 2012 at 10:34 pm

    Obrigada por descrever um capítulo de minha vida. :)

  43. Ana Paula 6 de maio de 2012 at 6:51 am

    e esse texto fazendo sentindo nesse exato momento !!!

  44. Hellen 11 de maio de 2012 at 1:20 am

    Nossa…parece q somos amigos de longa data, e que vc sabe exatamente o q vivi e a dor q passei ( e q ainda me atormenta as vezes, confesso.), em cada linha escrita aqui por vc, vc é mto sensível nos seus textos de um grande talento, Parabéns vc vai muito longe ainda, SUCESSO sempre!!!

  45. Leila Barreto 31 de maio de 2012 at 9:12 pm

    Sem palavras, garoto!

  46. Paula Carolina 16 de julho de 2012 at 2:53 pm

    Esse é o texto que eu mais gosto, não canso de ler… Lindo demais! (: Parabénsss

  47. Toliveira 11 de setembro de 2012 at 2:30 am

    E numa noite dessas ele pergunta se temos trilha sonora. O rádio toca uma baladinha sobre um primeiro amor e um primeiro beijo. Penso que combina com o que vem pela frente. A surpresa por ouvir a sua voz é sufocada pela pergunta de sempre. Ainda esperando o príncipe encantado? A pergunta que por tantas finalizou diálogos que eram ditos aos berros.
    Respiro fundo.
    Digo com a voz mais temerosa que já me ouvi falar. Só você sabe a resposta. Ele ri. É sufocante essa espera. Tanta coisa aconteceu. Um suspiro e parece que foi ontem que nos vimos. Você continua esperando o príncipe. Eu sorrio sem coragem. Por um instante aposto todas as fichas no que ele vai dizer. Sussurro mentalmente. Por favor diga a coisa certa. Nos falamos um dia desses. Meu sorriso vai embora com um simples click.
    A porta se abre e a Monalisa nunca me pareceu tão perfeita. Falava com quem, amor? Com ninguém. Respondo dando de ombros como se isso fizesse esquecer.

  48. Katia 11 de setembro de 2012 at 1:11 pm

    Sabe…. vc traduziu toda dor do meu best friend e toda vez q ele fala da best ex-my love, dá vontade de gritar VIRA A PÁGINA…. mas ele não vira e agora entendo porque. Percebe-se isso no olhar dele, nos gestos, no sarcasmo, até msm qdo ele sorri… tudo tem o vazio q essa mulher poderosa levou. Hei best friend, força viu!!!

  49. Ana Maura Guimarães 12 de setembro de 2012 at 10:10 pm

    Ta difícil parar de lêr seus textos Ave Maria, é um mais lindo que o outro!!!

  50. Juuh 3 de outubro de 2012 at 5:32 pm

    ‘Se me deixasse falar, eu teria me despedido de vez. Você só virou a chave, virou a cara, virou o mundo e me disse que. É uma pena, mas você não vale a pena.’

    Muito isso mesmo!!!
    Obrigada por me traduzir tão bem.
    Parabéns

  51. Simara 4 de outubro de 2012 at 11:15 am

    Mas aqui fica a lição que eu tanto quis te ensinar: nenhuma pessoa é lugar de repouso.

    #FATO

  52. Isabela Boechat 16 de novembro de 2012 at 12:18 am

    Bom, você e incrível, já te falaram isso, né? Mas te falo de novo e de novo, incansavelmente, você é incrível. Seus textos, cada conjunto de palavras que me fez arrepiar, como se eu tivesse entrado no seu pensamento e você redigiu esse texto. Tão eu, tão meu agora, que não me canso de ler.