Wednesday 26th November 2014,
Entre Todas as Coisas

Essa minha mania de sofrer por antecipação.

Daniel Bovolento 24 de março de 2012 Crônicas e contos
Essa minha mania de sofrer por antecipação.
Leia em tela cheia!

Ontem meus pés doeram pela primeira vez. Aliás, meus joelhos estalaram bem na hora em que eu fui dar uma corrida para atravessar a rua antes do sinal fechar. Me assustei. Sinais de que o meu corpo não é tão mais resistente assim. Estou ficando velho como a maioria de nós. Mas eu sempre idolatrei essa coisa da juventude rebelde e do poder que ela tem. Dou apoio a causas como o amor livre e o direito de fumar um baseadinho até hoje. Não nasci pra ser careta. Nem careca. Mas as entradas na minha testa me fazem repensar a minha antiga opinião de quão ridículo eu ficaria com peruca. Desconsiderei a vergonha dos fios falsos logo que cruzei a esquina. Se for para envelhecer, que eu assuma isso de frente, com cabeça erguida – mesmo sem cabelo algum – e de queixo erguido. Se bem que, a papada não o deixaria tão erguido assim. Droga! Essa minha mania de antecipar as coisas futuras não é de hoje. Antecipar a velhice é só uma das muitas coisas que eu já tentei antecipar. É que eu não sei sofrer na hora certa. Eu gosto de sofrer por antecipação, o drama (e também a esperança) de sofrer em vão por algo que eu nem sei se vai acontecer ainda.

Eu lembro bem como eu antecipei o não daquela menina das trancinhas no quarto ano. Ela era bonitinha, vai. Você não conheceu, mas posso garantir que valia a pena. Eu já sabia desde o início que ela diria não. E já me martirizava pensando em como seria difícil conseguir driblar aquilo. No dia em que a conhecia, eu sofri. Sofri sabendo que um dia ela me chamaria num canto e diria: ei, psiu, você é só meu amigo, ok? Sofri quando dei parabéns no aniversário dela esperando que ela desdenhasse disso vinte anos depois. Sofri quando dei a ela um ursinho velho que roubei da minha irmã mais nova – e que elas nunca descubram isso – porque achava que ela o jogaria fora quando entrasse pra faculdade. E caí fora por já prever o fora que ela me daria algum tempo depois. O gênero da minha vida sempre foi tragicômico. A cada tragédia inventada e pensada com dez anos de antecedência, eu sofria com a mesma intensidade que sofre alguém no momento exato em que recebe uma notícia ruim.

Me lembro de quando eu antecipei a possibilidade daquela guria estar grávida – de alguma festa louca da faculdade. Deve ter sido quando eu fiquei tri bêbado e nem lembrava mais meu nome. Eu nem tinha entrado na festa e já tinha medo de ser pai. Eu já esperava pela notícia, pelo castigo dos meus pais, pelas horas de trabalho que eu teria que fazer para poder sustentar nós três. Sofri antecipado antes mesmo de perceber que ela já estava agarrada a outro cara de braços atléticos e sorriso debochado enquanto eu já temia pelo dia em que ela escolheria pelo nome dos filhos que eu nunca quis ter. Bobagem. Só fui ter alguma coisa com ela durante o mestrado. E mesmo assim daquela noite foi tão meticuloso que os amigos riam da minha cara de pavor ao conferir a camisinha no bolso de duas em duas horas. Bebi tanto por antecipação que desmaiei e fui parar no hospital. Acho que, dessa vez, essa mania me salvou de ser pai. Ou foi uma completa neurose minha.

Todas as vezes em que sofri antecipado, foram as vezes em que me antecipei na vida. Não posso, não devo, não vou fazer isso. E tomei mais cuidado do que eu deveria. Quem sabe se aquela guria do quarto ano não poderia ter sido minha namoradinha até o casamento? Quem pode dizer que eu não teria feito a melhor viagem da minha vida se não achasse que o avião cairia e todos os 50 passageiros morreriam carbonizados em alguma floresta nativa na Ásia? É cômico. É trágico. Mas sou eu. E só em cruzar a esquina mais uma vez, eu repenso a ideia de usar peruca. Talvez seja melhor eu raspar logo a cabeça antes que os fios comecem a cair e eu sofra. É assim que eu me protejo de sofrer na hora certa.

Gostou do texto? Compartilhe!

Deixe Um Comentário -

  1. Luane Caroline 24 de março de 2012 at 12:40 am

    Essa nossa mania de sofrer por antecipação…

    • Caroline Munhoz 27 de março de 2012 at 11:50 pm

      cara você é foda escrevendo, nossa !

  2. Jhennifer Miranda 24 de março de 2012 at 12:43 am

    “Todas as vezes em que sofri antecipado, foram as vezes em que me antecipei na vida.” É exatamente assim, muito bom o texto

  3. Mallu 24 de março de 2012 at 12:56 am

    sempre na retar guarda, sem sair da defensiva. Pronta pra dar o bote e ágil o suficiente pra me esquivar que de tudo que possa um dia possa me atingir. Sofre é inevitável, mas já me acostumei sofre por antecipação. Acho que assim as coisas acabam sendo menos dolorida.

  4. Ana (@AnitaPassos) 24 de março de 2012 at 1:17 am

    ”Todas as vezes em que sofri antecipado, foram as vezes em que me antecipei na vida. Não posso, não devo, não vou fazer isso. E tomei mais cuidado do que eu deveria. ”

    Nossa Daniel!Vc me descreveu!
    Eu sofro por antecipação e quando tenho algo importante pra decidir penso em tudo,em cada passo que vou dar,o que falar,que tipo de perguntas poderão me fazer,o que irei responder.É uma aflição!Fico sem dormir muitos dias.Louco!

    Acho que vc já deve estar cansado de ler isso mas eu AMEI mais uma vez seu texto,muito bem detalhado!
    Virei sua fã!Apesar dos seus textos serem longos vc consegue prender minha atenção até o fim.

  5. Myllena 24 de março de 2012 at 1:26 am

    Curti muito, mesmo sendo diferente do tipo de texto que você costuma escrever. Mandou muito bem e conseguiu retrarar de forma leve e bem humorada a insegurança e esse sofrimento por antecipação que muitos compartilham.

  6. Marília Barros 24 de março de 2012 at 1:27 am

    Mais um delicioso texto!

    Parabéns, Daniel!

  7. Ana (@AnitaPassos) 24 de março de 2012 at 2:00 am

    Quando vc cita a ansiedade do personagem em relação a algumas paixonites,vc acaba trazendo pro texto um pouco daquilo que está acostumado a escrever.
    Eu amei de verdade até pq até agora é o texto que mais me identifiquei por causa dessa mania de querer prever tudo.

  8. Maysa 24 de março de 2012 at 2:08 am

    me descreveu totalmente!!perfeito*–*

  9. Lígia 24 de março de 2012 at 4:55 am

    Se você tivesse viajado e o avião caísse, você poderia estar no seriado lost, com um monte de mulher subindo pelas paredes, sem dar há meses.

    Com relação à garotinha do quarto ano: sério que a ideia de ter conhecido sua esposa na infância e ter ficado com ela desde então o agrada? A ideia de casar com o primeiro namorado sempre me causou certo repúdio… É bonita em filmes, mas na vida eu quero é mais.

    Finalmente, sobre o texto:
    Fugas, cada um com as suas. Você foge da hora certa de sofrer, eu fujo da apatia, da ausência de sentimento – ou sofrimento.

  10. Luciana Ruff (@luhruff) 24 de março de 2012 at 12:10 pm

    Perfeito o texto, de certa forma me descreveu também. Parabéns!!

  11. Snaga 24 de março de 2012 at 5:10 pm

    Paguei pau. Vi no texto um reflexo de mim mesmo. Aliás, acho que a maioria das pessoas são assim, sempre sofrendo por antecipação, sempre buscando prever o que ocorrerá daqui 5 minutos, 5 dias ou 5 anos! Será que alguém sabe não viver assim? Será que alguém sabe não sofrer com isso?
    Essas perguntas ficam no ar…

    Vou dar uma olhada nos outros textos e passear pelo blog! Abração!

  12. bertagna 24 de março de 2012 at 5:14 pm

    Reblogged this on Beto Bertagna a 24 quadros.

  13. Raissa 24 de março de 2012 at 7:42 pm

    “Eu gosto de sofrer por antecipação, o drama (e também a esperança) de sofrer em vão por algo que eu nem sei se vai acontecer ainda.”

    me vi nesse texto! hahahah ADOREII! ficou mtmtmt bom!

    parabens. :*

  14. Adonis 24 de março de 2012 at 9:20 pm

    Ah, o cara está censurando comentários. Não vou mais entrar nesse blog. Sou um cara bem democrático e gostaria que aqueles que escrevessem excertos na internet também fossem. Não posso dar audiência para um rapaz que tem o mau vezo de objurgar manifestações democráticas. Tenha uma boa noite!

    • Daniel Oliveira 24 de março de 2012 at 9:23 pm

      Rapaz, é só maneirar no linguajar da crítica. Eu raramente apago algo. Mas algumas pessoas podem se sentir agredidas pelo tom usado, mesmo que seja cômico. Se dosar a forma de fazer o comentário, não tem problema.

      • Adonis 24 de março de 2012 at 9:40 pm

        Tá bom, vai! Da próxima eu me valho de mensagens subliminares e termos ambíguos. Boa noite!

      • Adonis 26 de março de 2012 at 9:39 pm

        Dá licença, quero tirar uma dúvida com vc. Meus sutis comentários não aparecem mais nos blogs em que os deixo. Assim que os posto, aparece a mensagem que o comentário está sendo postado, porém, quando a página carrega, nada aparece. É como se eu não tivesse escrito nada. Nem no link que aparece todos os comentários que já fiz (Comments I’ve Made), aparece esses meus comentários. Só consigo postar no meu próprio blog e responder os que fiz antes de dar essa pane. O que vc, um usuário ativo e inteligente do wordpress acha que é? Vírus ou um problema na minha conta ou outro motivo qualquer. Agradeço a atenção, amigo, rs.

        • Daniel Oliveira 26 de março de 2012 at 10:08 pm

          Guri, você tá vindo como SPAM pra mim. Talvez tenha acontecido o mesmo com outros blogs.

          • Adonis 27 de março de 2012 at 1:21 pm

            E como eu faço para arrumar isso? Eu sei que meus comentários não são fáceis, mas eu não mereço ser visto como um spam, rs.
            Obrigado!

          • Daniel Oliveira 27 de março de 2012 at 3:26 pm

            Não sei… Envia um e-mail pro wordpress perguntando sobre a situação!

          • Adonis 27 de março de 2012 at 4:59 pm

            Posso abusar só um pouquinho da sua boa vontade? Obrigado. Eu não achei o email do wordpress, entrei na página de dúvidas dele, mas não achei. Tentei ir no facebook, mas também não tinha nada de email. Vc sabe qual é o endereço? Muito obrigado pela simpatia e pela atenção. Eu estou “quase” arrependido por ter criticado de forma tão contundente seus textos, rs.

            PS: Vou passar a seguir seu blog como forma de agradecimento.

          • Daniel Oliveira 27 de março de 2012 at 5:14 pm
          • Adonis 27 de março de 2012 at 5:54 pm

            Valeu, mandei a pegunta para o fórum brasileiro. Espero que me respondam. Até!

          • Adonis 6 de abril de 2012 at 9:42 pm

            Se inscreve no meu canal para que eu possa criticar seus textos ou então veja uma maneira de tirar meus comentários do modo spam. Eu consigo escrever no blog de uma moça em que minhas mensagens apareciam como spam, ela deve ter feito alguma coisa para arrumar isso. Ah, mais uma coisa, estou sem namorada. Se vc conhecer alguma garota bacana aqui na capital de São Paulo, me apresente. Ela tem que ter entre 20 e 30 anos e ser gostosa. Não pode gostar de balada também. Se não conhecer ou se não estiver afim de ajudar, eu agradeço do mesmo jeito.

  15. Ana 25 de março de 2012 at 9:43 pm

    Nossa eu sofro MUITO por antecipação! MEU DEUS DO CÉU! hahahah, boa temática, gostei :)

  16. Ana Paula 25 de março de 2012 at 10:28 pm

    é

  17. Bem Resolvida 26 de março de 2012 at 12:30 pm

    Meu deus, quantas oportunidades perdidas…quantas chances desperdiçadas…não, deixei de viver muitas coisas nessa vida, é verdade, mas não por omissão. O texto, muito bem escrito por sinal, chegou a me irritar rs

  18. Letícia 31 de março de 2012 at 7:30 pm

    Me encontrei nesse texto, pelo visto isso não é algo que só acontece comigo, hehe. Fico feliz quando encontro pessoas que passam por situações iguais as minhas, faz parte da vida.

    ” A cada tragédia inventada e pensada com dez anos de antecedência, eu sofria com a mesma intensidade que sofre alguém no momento exato em que recebe uma notícia ruim.”

  19. Mile 2 de abril de 2012 at 2:03 am

    “A cada tragédia inventada e pensada com dez anos de antecedência, eu sofria com a mesma intensidade que sofre alguém no momento exato em que recebe uma notícia ruim.”

    Essa pessoa sou eu. oO
    Texto maravilhoso, você escreve muito bem!! =D

  20. Brenda 3 de abril de 2012 at 10:29 am

    Eu achei engraçado! rsrsrs

  21. michellidavila 12 de abril de 2012 at 9:24 am

    “A cada tragédia inventada e pensada com dez anos de antecedência, eu sofria com a mesma intensidade que sofre alguém no momento exato em que recebe uma notícia ruim….
    É cômico. É trágico. Mas sou eu. E só em cruzar a esquina mais uma vez, eu repenso a ideia de usar peruca. Talvez seja melhor eu raspar logo a cabeça antes que os fios comecem a cair e eu sofra. É assim que eu me protejo de sofrer na hora certa.”
    Exatamente!

  22. Thamiris 10 de maio de 2012 at 12:56 pm

    [...] É cômico. É trágico. Mas sou eu.

    Você tem o Dom natural, de fazer com que as pessoas se identifiquem com seus textos, não só porque eles falam de amor, ou de coisas que já passamos na vida, mas por você ser incrivelmente bom. Me emocionei muito pouco com todos os textos e livros que li, os quem me fizeram cair em lagrimas eram de escritores mais antigos, mais Sabinos, Mais Moraes.Mas você, consegue fazer com que todos os seus textos “todos” que eu já li, me fazem chorar de soluçar. Não por falar de amor e outras coisas, mas por você conseguir ser tão sensivel, e direto e delicado e ao mesmo tempo bruto com as palavras, você brinca com elas e é isso que me encanta a cada vez que os leio. Fico imaginando se você é o que você escreve, porque se for..Caro amigo, você tem sorte na vida !!!

    Grande beijo !

  23. Priscila 28 de maio de 2012 at 1:51 am

    “É cômico. É trágico. Mas sou eu. E só em cruzar a esquina mais uma vez, eu repenso a ideia de usar peruca. Talvez seja melhor eu raspar logo a cabeça antes que os fios comecem a cair e eu sofra. É assim que eu me protejo de sofrer na hora certa.”

    É bem por aí mesmo. A maioria das pessoas têm essa mania de sofrer por antecipação como se isso fosse um escudo para se protegerem das dores mais intensas que as situações da vida pode nos trazer…ou por terem se machucado e se decepcionado tanto com as pessoas ou com determinadas situações, elas tentam se proteger com o intuito de amenizar o sofrimento que podem vir a enfrentar. Acredito que as pessoas têm muito medo…sabe, medo de futuras possíveis decepções e desilusões, e por isso acabam usando esse escudo do “sofrimento por antecipação”. Mas isso é desgastante para qualquer um…não podemos prever o futuro, achando que tudo pode dar errado e alimentar essa insegurança. Temos que arriscar sem medo das possíveis decepções que talvez tenhamos que enfrentar…a vida é assim..vivendo, aprendendo e se f*dendo de vez em quando..nem tudo são rosas. Senão, você simplesmente não vive.

    Parabéns pelos seus textos! Você sabe, de verdade, abordar os temas mais comuns da vida das pessoas de uma forma surpreendente!E bela música para o tema!=)

  24. Yara Longuinho 11 de junho de 2012 at 1:15 am

    Acho incrível como podemos viver tanto na defensiva. Se privando de coisas pelo medo de um não futuro. Sofremos por algo que ainda não vivemos e, o pior, deixamos de viver o real “não”. Seria muito mais divertido e valioso viver o verdadeiro. Me identifiquei muito com o texto e, estou em um momento de busca pela mudança. De esquecer o “e se” e sofrer pelo que realmente aconteceu, se é que vai haver sofrimento…
    Parabéns, adorei o blog.

  25. Aline 8 de agosto de 2012 at 6:31 pm

    Oi, você me conhece? Porque é de mim que você tá falando nesse texto! rs
    Identificação total.

  26. Aline 8 de agosto de 2012 at 6:35 pm

    Por sinal, eu gostaria de não ter me identificado tanto, venho tentando perder essa mania de sofrer por antecipação… Afinal, “Todas as vezes em que sofri antecipado, foram as vezes em que me antecipei na vida.”

  27. Maria 26 de outubro de 2012 at 10:52 pm

    Adorei o texto. Me identifiquei muito mesmo. Parabéns!

  28. Ana 31 de janeiro de 2013 at 7:36 pm

    Nossa.Super amei o texto <333

    " É cômico. É trágico. Mas sou eu."